AGROtic – 10ª EDIÇÃO

Seminários e feiras de negócios sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação na agropecuária.

-Os desafios do acesso às TICs pelos pequenos produtores
-As mudanças climáticas, o agro e a tecnologia
-Agricultura regenerativa e de baixo carbono
-Pressão do clima na cafeicultura
-O leite e a pecuária de precisão

PÚBLICO ALVO

Cooperativas agrícolas, produtores rurais, técnicos do campo, pesquisadores e acadêmicos vinculados ao segmento, dirigentes de empresas de tecnologia da informação e de conectividade, representantes da indústria do agrobusiness.

Detalhes do Evento

9h – 9h30 | Palestra Especial de Abertura – A agenda futura da inovação no agro.

9h30 – 10h40 | Painel 1 – As mudanças climáticas, o agro e a tecnologia.
Este já não é um risco futuro, a agropecuária começa a sentir os primeiros efeitos das mudanças climáticas no Brasil e no mundo. Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), as mudanças do clima já somaram perdas globais de mais de R$19 trilhões. Como a ciência e tecnologia podem ser aliadas para enfrentar esse processo?

*Isabela Gaya | Analista de Inovação e Head do programa Agro 4.0 da ABDI

10h40 – 11h | Pitching Agritechs

11h – 11h20 | Keynote Speaker

11h20 – 12h30 | Painel 2 – O acesso dos Pequenos Produtores às Tecnologias Digitais e IoT.
Apesar dos avanços, a inovação com o apoio das TICs não está disseminada entre os pequenos produtores como se desejaria. Bloco heterogêneo, responde por 73% de estabelecimentos rurais, 23% de ocupação territorial e 10 milhões de pessoas integradas. Ainda há problemas de conectividade, falta de acesso à tecnologia e necessidade de intensificação de políticas públicas voltadas para ciência e tecnologia no campo. Quais são as soluções do setor de TICs e as propostas do agro?

*Claus Reiner | Diretor e Chefe do Centro de Conhecimento e de Cooperação Sul-Sul e Triangular do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA)

14h10 – 14h30 | Keynote Speaker

14h30 – 15h30 | Painel 3 – Pressão de clima e qualidade na cafeicultura
Considerada a primeira vítima das mudanças climáticas, a cafeicultura enfrenta desafios para aumentar os recursos da agricultura digital e garantir produções sustentáveis. Como contornar os obstáculos e garantir maior produtividade e qualidade mesmo em condições adversas?

*Paula Curiacos | Sócia Gestora da Fazenda Três Meninas

15h30 – 15h50 | Pitching de Agritechs

15h50 – 16h50 | Painel 4- A evolução da Tecnologia Espacial e Terrestre no Agro.
Ávido por conectividade em locais remotos, o agro tem o perfil cobiçado por empresas de satélite. As soluções de baixa órbita podem se encaixar no rol de opções para conectar a lavoura e as ofertas aumentam. Ao mesmo tempo, o 5G também se aproxima desse segmento com o 5G não terrestre, a NTN.

9h – 9h30 | Keynote Speaker
*Alessandro Cruvinel | Diretor do Departamento de Apoio à Inovação para a Agropecuária do Ministério da Agricultura e Pecuária – MAPA

9h30 – 10h30 | Painel 5 – Agricultura regenerativa e de baixo carbono. no topo
Em alta nos últimos anos, a agricultura regenerativa e de baixo carbono se apresenta como uma alternativa para o equilíbrio ambiental e produtividade no campo. Ela atua na recuperação de áreas degradadas, aumento da biodiversidade integrando técnicas como plantio direto e rotação de culturas a tecnologias digitais avançadas. Serão obtidos os resultados esperados?

*Carlos Eduardo Pellegrino Cerri | Professor Titular do Departamento de Ciência do Solo da ESALQ/USP
*Marcos Ferraz | Presidente da AsBraAP – Associação Brasileira de Agricultura de Precisão e Digital

10h30 – 10h50 | Pitching de Agritechs

10h50 – 11h10 | Keynote Speaker

11h10 – 12h10 | Painel 6 – O leite e sua inserção na pecuária de precisão.
A cadeia do leite vem atravessando uma fase difícil com aumento de importações e baixa rentabilidade. O momento pede adesão à pecuária de precisão para fazer frente aos obstáculos e garantir melhores resultados. Quais as opções que a tecnologia digital traz para esse segmento?

14h30 – 15h30 | Painel 7 – Agroindústria: a floresta 4.0 está de pé.
Mais próxima do conceito de indústria 4.0 do que da agricultura de precisão, essa é uma área que está levando sensores, sistemas de monitoramento e inteligência para o campo. Os resultados são positivos e estimulam mais investimentos.

*Guilherme Oguri | Coordenador Executivo PCMAF do IPEF – Instituto de Pesquisas Florestais

15h30 – 15h50 | Pitching Agritechs

15h50 – 17h | Painel 8 – O agro no centro da bioeconomia.
Biogás e biocombustíveis; biofibras, biomassas, biocompostos; bioprodutos e bioquímicos. Hidrogênio verde e lavouras sustentáveis. Quando o Brasil se apresenta para o mundo como o país capaz de liderar a transição global para a economia verde ele deposita no agro a responsabilidade por boa parte desse projeto. É possível fazer o esperado no tempo necessário?

Detalhes do Evento